Resenha: Trilogia A Seleção

A história se passa num futuro alternativo, em um país chamado Illéa: uma monarquia em que a sociedade é divida em castas. Os eventos ocorridos são narrados por sua protagonista, America Singer, uma jovem pertencente à casta Cinco que acaba entrando para a Seleção, onde deverá competir com outras 34 garotas pela mão do Príncipe Maxon, assim como o título de princesa e futura rainha de Illéa.

A trilogia do quase. A Seleção conta a história de America, uma menina da área de humanas casta 5, apaixonada por Aspen um não-sinta-pena-de-mim 6 e como a vida dela muda ao ingressar na Seleção. A sociedade em que eles vivem é monárquica, mas com um reinado ameaçado por rebeldes. Eles vivem em piramide, em um sistema de castas. Do 1 ao 8, com um sendo a realeza, constituiria pelo o Rei Clarkson, a Rainha Amberly e seu filho o Príncipe Maxon, e o oito sendo a escoria: viciados, fugitivos, sem-teto. O príncipe deve conhecer sua futura rainha através da seleção: um reality show com 35 participantes, meninas de 16 a 20 anos. Meninas de todas as castas podem se escrever, dando a impressão que eles se importam com a plebe, já que “qualquer uma” pode ser rainha. Tudo isso mais um triangulo amoroso distorcido.

É uma série sobre princesas, mas não é só isso. Mas não pense que é muito mais que isso.

No primeiro livro é aquilo que a gente já conhece: a gente vai conhecendo os personagens, vai se ambientando a história e vai tentando entender o que está acontecendo. No segundo livro, A Elite, só sobraram 6 garotas e America está dividia entre Maxon e Aspen (nem precisava). No terceiro e ultimo, A Escolha, temos America e Maxon brincando de quem é mais babaca com o outro. O Aspen está lá também, mas nada de relevante.

Eu disse lá em cima que é a trilogia do quase. Tudo quase acontece. Há várias invasões rebeldes no castelo, mas tudo é vago. No ultimo livro ela se arrisca um pouco, mas deixa a desejar. Ela tem um plano de fundo incrível, (ela deveria ter trabalhado mais nele) mas fica só nisso. Há algumas tarefas para as meninas, organizando jantares e eventos para Illéa. Tem também America e Maxon falando sobre as castas, e o que acontece fora dos muros do castelo (fome, miséria ente outras coisas). Mas ela nunca explora a fundo nada isso. Há uns 3 momentos de tensão (que acontecem no último livro), mas fora isso…

A escrita dela é gostosa, boa de ler. Tanto que terminei o primeiro livro em dois dias.

O grande problema dela é focar mais no drama da America, do que nos problemas políticos enfrentados por Illéa. O que nos deixa com um plano de fundo mais interessante do que a protagonista algumas vezes.

Pesquisei um pouco e descobri que a CW havia adquiro os direitos, e depois de dois pilotos rejeitados pela emissora, foram devolvidos a autora Kiera Cass, e há boatos de um filme, mas não sei se vai sair ainda ou não. Na minha opinião, uma série seria um escolha melhor, assim poderiam explorar melhor o governo de Illéa, e toda a politica e corrupção (SIM!) que existe por trás dele.

Nota: 4,5/5

Anúncios

25 comentários sobre “Resenha: Trilogia A Seleção

  1. oi amiga, amei a resenha e o romance que envolve, pelo tema eu nunca iria ler pq so tenho paciencia para ler romances senao jogo o livro longe kk
    amiga me visite tambem:
    gilvaniaevans.com

    Curtir

  2. Eu amei esta trilogia mas entendo perfeitamente a sua opinião. Eu gostei principalmente porque lia para saber sobre o triângulo amoroso entre a América, Aspen e Maxon. Me apeguei a alguns personagens e torci por eles até o fim. Mas para quem está procurando uma distopia (como o livro é classificado), focando nos problemas políticos e sociais do enredo, esquece! A autora dá a mínima importância possível para estes detalhes e é por isso que muita gente não gostou (com razão). De qualquer jeito, pra mim não fez muita diferença porque eu realmente gostei de acompanhar os problemas pessoais da América.

    Beijosss
    http://bookspoison.blogspot.com.br/

    Curtir

  3. Eu tenho um pouco de preguiça de começar essa trilogia, pq já cansei dessa coisa de triângulo amoroso entre adolescentes. Principalmente que a autora não foca na sociedade que criou, me desanima mais ainda. Caso eu consiga emprestado, animo ler, mas por enquanto vai ficando no fim da fila!

    Curtir

  4. Oi, 🙂

    Não deve haver outra pessoa no planeta com mais vontade de ler essa triologia do que eu! O.o’ kkkk’
    Desde o lançamento, estou super curiosa para conferir e, a cada novo comentáio que ouço/vejo, minha curiosidade só aumenta. Além do que: as capas são lindas! ^^

    Beijos! ;*
    Letras Eternas

    Curtir

  5. Oie, Pâmela.
    Eu gosto da trilogia mas ela me decepcionou um pouco. Pelo mesmo motivo que decepcionou você: Kiera Cass passa mais tempo desenrolando o drama do triângulo amoroso da America do que explorando o contexto político da historia. O último livro, nesse sentido, foi uma decepção quase tangível. Em alguns momentos eu xingava mentalmente a America: tanta coisa séria rolando e ela indecisa se escolhia o Maxon ou Aspen… Por isso amo Jogos Vorazes. Não são tantos momentos românticos assim – e os que existem ainda são importantes para a sobrevivência de muita gente, como a Katniss, Peeta, Gale e a família de todos eles. Ou seja, eles não estão lá sem motivo.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    Curtir

  6. Que análise incrível dessa trilogia. Já ouvi muitas pessoas falando dela, mas parece que só se resumiam a dizer que era encantadora e fofinha, etc. Gostei mesmo de como você falou dos livros e concordo contigo que é preciso abordar mais o tema da corrupção além do romance. Contudo, talvez a autora tenha optado por isso porque o livro é indicado para meninas adolescentes e elas não se interessam tanto por isso – pelo menos uma grande parcela. Creio que se Jogos Vorazes teve mais sucesso em dar destaque a esse lado político.

    Leitores Forever

    Curtir

  7. Olá flor, gostei bastante da sua resenha. Bem sincera alias. Realmente não sei se gostaria de ler esta trilogia, amo distopias, mas parece que a autora mal focou no assunto que para mim é maravilhoso de ler. Que pena isso, acho que fez tanto sucesso porque a maioria gosta de livros de drama em relação a romance e cheio de mimimi. Mas enfim, quem sabe algum dia dou uma chance.
    Beijos, sucesso.

    Curtir

  8. Oi (:
    Eu ainda estou no primeiro volume da trilogia que agora é série, fiquei bem confuso em relação a isso (rs). Amo livros do gênero, e no entanto gostei do primeiro, agora vamos para os próximos HUAHAUAHA. Pois é, no livro eu achei que é pouco falado sobre Illéa e é bom a série!
    Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s